New Document
  + CRONOLOGIA
"Perto de Murtede se situava a povoação de S. Martinho de Selióbria, cujo topónimo sugere origem celta, importante na Alta Idade Média, conforme se infere na doação feita em 907 ao Mosteiro de Lorvão." (Nelson Correia Borges)
rn 
rnEm 1947 , numa propriedade do Senhor Dr. Costa e Nora, apareceu um "cavalinho", cheio de movimento. Este deve ser de fabrico provincial, mas já no domínio Romano, visto que é muito bem modelado, e a Romanização não eliminou as tradições indígenas, antes as aperfeiçoou. Transcrito de Ana Elvira Rocha da Silva Poiares 1963  - pg. 18 referindo Drª. Dulce Emília Alves Souto - Subsídios para uma Carta Arqueológica do Distrito de Aveiro no Período da romanização - pg.25.  
 
1??? - Murtede foi concelho e teve Curral do Concelho Fonte:  Viriato de Sá Fragoso, Cantanhede, Subsídios para a sua História, 1960. (Nota pp. 109 e 110)
 
Curral do Concelho era o recinto vedado, em que se recolhiam os animais domésticos até serem pagos os danos que eles causassem na propriedade alheia. Havia-os nas sedes dos Concelhos, e mesmo nos de insignificante Jurisdição. Fonte:  Viriato de Sá Fragoso, Cantanhede, Subsídios para a sua História, 1960. (Nota pp. 109 e 110)
 
1877 - Neste ano foram fabricados em Cantanhede os sinos da Igreja Matriz, por Joaquim Amaro. Fonte: "O Marialva" Boletim da Caixa Beneficente dos filhos do Concelho de Cantanhede, nº 6, pg.2 -1961
 
1991, 21 de Dezembro  - a fábrica da igreja local publica "A Freguesia de Murtede - Subsídio para o  seu inventário artístico  e religioso" Fonte: A.R.S.M.B. -Feira do Livro - Coisas de aqui ao pé - aqui à mão - 2000pg.78.
 





pedro alexandre amaro jesus
É com todo\r\no respeito que aqui vos exponho a minha critica referente  á \r\nSinalização e intervenções, Murtede  em especial na Rua da Portela,  junto ao campo de futebol , onde  foi implementado um espelho , que a meu ver,\r\nveio reforçar sim a segurança dos condutores que ao fim de terem  uma “estrada nova” passão  a uma velocidade excessiva por esta mesma\r\nrua. \r\n\r\nConsiderando\r\no risco condutor/moradores , a meu ver, seria preferível uma lomba, visto que a\r\nestrada é aliciante para quem gosta de “meter o pé no acelerador” e se esquece\r\nque existem pessoas das quais crianças, que residem nesse mesmo lugar. Com os\r\nmelhores cumprimentos Pedro Jesus.


Maria Celeste Fernandes Cordeiro Silva
Tudo o que me remete para a minha naturalidade é sempre acolhido com grande entusiasmo pelo que fico contente por existir este espaço.\r\nQuero notar que a emigração não aparece evidenciada e penso que teve um grande impacto na economia local.\r\noutros dos aspetos que penso deve ser reforçado é a propria natureza.\r\npor fim a linha, já extinta, de comboio que penso ter sido também ao longo das décadas um importante meio de deslocação quer em direção a Coimbra - capital de distrito quer em direção á Figueira da Foz.\r\n \r\nJá me estava a esquecer....sempre que queriam gozar comigo quando era mais jovem referiam o fato de ser da "terra da ciência", os colegas de Sepins é que tinham muito essa mania. Questiono-me se essa ideia não é mais antiga do que o que pode transparecer (achava que estava relacionado com o inicio do séc. XX e a frequência da universidade por vários habitantes da freguesia) mas se nos remetermos para os dados históricos (já fomos dependentes de Sepins) talvez esta picardia seja mais antiga.\r\n \r\nSinto muitas saudades da minha terra! Um abraço a todos



 
O seu nome :   
Do amigo :   
O seu email :   
Do amigo :   
 
Email:
 
48744 visitas até o momento.